FAIRYTALE: Uma historinha da vida real.

Quando não tenho algo para distrair minha mente, ela vaga...e eu fico pensando, pensando, pensando....aí surgem as indagações e as críticas, analises. Se eu parar para analisar odeio isso em mim, mas não posso mudar neste ponto, também. (Leiam a nota final, até mesmo antes do texto, caso queiram me crucificar).

Nasci numa época em que a mulher estava se libertando (realmente), vivendo para ela. A mulher trabalhava, investia na carreia profissional, estudava, viajava... Filhos e família ficavam para mais tarde... Aos 30 e poucos anos. Primeiro era ela e sua vida como um indivíduo, nada a impedia, o mundo estava a sua frente para desfrutar. E neste sentido eu fui ensinada! "Vá estudar, trabalhe, divirta-se e somente depois, e se você quiser, case-se e tenha filhos. Mas ame-se em primeiro lugar! Não há pressa em ter filhos! Tome cuidado, não se enterre viva numa relação matrimonial apenas por que há alguns anos atrás isso era necessário por força de convenções sociais!" E era isso mesmo que eu via a minha volta: mulheres inteligentes, decididas, almas livres e capazes, exemplos a serem seguidos. (Não que hoje elas não sejam, não que não as respeite..mulheres são guerreira e ponto final) Nada contra a quem escolher o outro lado da moeda, pelo contrário, mas era fácil perceber que uma mulheres que deixava de lado seus desejos pessoais tornava-se mais triste, desmotivada, quase uma gata borralheira, sem conquistas, a "empregada" do marido e dos filhos.

Algo aconteceu algum tempo depois, ao menos é a impressão que eu tenho. Aos poucos pude perceber que esta mulher livre, independente, dona de si estava definhando, morrendo, sucumbindo e finalmente sumindo. Não sei ao certo o que houve. Se foi o desespero por ter filhos muito tarde..não sei, mas o que tenho observado no decorrer dos últimos anos foi uma infantilização e glamorização da vida conjugal, da maternidade e finalmente da imagem que a mulher tem de si mesma.

Meninas de seus 15 anos desejando casar-se e ter filhos, e o quanto antes possível. Mas o pior mesmo é ver que isso é a meta de vida delas! Claro cada um com sua opinião e desejos, mas sinceramente isso é sinônimo de felicidade plena? É o único caminho, mesmo??? Pergunto-me se elas só encontrarão a felicidade se estiverem limpando o chão, acordadas a noite toda por que seu filho menor está doente, pedindo dinheiro aos maridos para comprar roupas. "Ah! Mas as mulheres continuam trabalhando!" Sim, algumas ainda têm o trabalho, mas não é exatamente a mesma coisa, não? Por que elas continuam sendo mães E donas de casa! E lá se foi o tempo para o descanso, seus cuidados pessoais, o lazer! Porque todo tempo que sobra é delegado à família! Nada contra, repito. Mas acho que este desespero por enterrar-se em fraldas sujas, pilhas de roupas a lavar e DR's intermináveis é meio doentio!! Ou totalmente, a meu ver. Por que casar-se aos 18, 19 e 20 anos se podem fazê-lo aos 38????? Por que a pressa??

O caso é que muitas constroem uma vida magnífica, digna de contos de fadas da Disney, mas, em suas cabeças e somente nelas!!! Fazem planos mirabolantes de como será a vida matrimonial, os filhos..o quanto o marido será maravilhoso, amoroso e finalmente o mais difícil de tudo...fiel! Desculpe, querida... Mas teu marido/namorado não é e nem será aquele príncipe da Cinderela, da Bela Adormecida, da Branca de Neve e de todas as outras! Vai ver ele realmente é um patife, já que ele andou com todas estas "princesas" e agora está "bancando o bom moço" para você! Mas que cafajeste! E lembre-se: você não é uma princesa! A cor rosa não combina com sua pele, com a cor dos seus olhos, do cabelo...é simplesmente cafona demais! Não desfila nas passarelas de Paris!

Esquecem-se que numa relação há a outra parte, e como em todo tipo de relação jamais o outro fará milimetricamente aquilo que esperamos dele! É uma frustração inevitável! Fora que uma mulher extremamente mandona é um pé enorme no saco! É!! NO SACO! (até eu mesma acho isso) "Mas nós juramos amor eterno perante o padre?" Engana-se quem acha que juras de amor são eternas, que o próprio amor é eterno! A vida não é só amor pra cá, amor pra lá..há muita coisa envolvida, e o "benhê" não vai ficar com você  por conta apenas dos seus lindos olhos (ou uma outra parte do corpo realmente avantajada, que por ventura você tenha). A não ser que ele seja o Edward Cullen, e só neste caso mesmo, mas lembre-se este é um personagem fictício. Filhinha, seu marido não vai te aturar 'till the end se você se tornar uma megera amarga, por que de alguma forma seus planos se frustraram! Ele não vai te deseja se você não cuidar da sua aparência! Sim, homens gostam de mulheres cheinhas, não as magrelas das passarelas, por que estas só servem para as passarelas mesmo, mas eles gostam daquelas que estão há 2kg de tornarem-se gordas. Fato! E quando você se descuidar, bem.....o mundo tem 1 homem para 4 mulheres e a concorreria lá fora está bem acirrada! A vida amorosa é uma ginástica, um estica e puxa desgastante e infindável.

Homens não desejam nem almejam as mesmíssimas coisas que as mulheres! Bem isso nós já deveríamos saber, não é? Enquanto, durante o namoro, você fica fantasiando as alianças, o vestido e a cerimônia de casamento de conto de fadas (surreal), além de ficar imaginando se o "Juninho" terá os olhos do "amado"..ele está pensam na "ceva" com os amigos, no campeonato brasileiro e ...na "gostosa" do trabalho! Homem NÃO é cego! E nem você deve se irritar se ele delira com outra..por que eles sentem a nossa insegurança e quanto mais "chicle" formos (e "forçarmos a barra") pior será. O jeito é parecer distante, pois, quanto maior for o desafio dele, vai ser isso que o deixará firme ao seu lado! Homens adoram aquilo que é inalcançável, difícil. Só assim eles poderão gostar mesmo de você (eu disse gostar). Eles querem muito ter filhos, mas quando eles nascem tem vontade de correr para baixo da saia de suas mães, por que no final das contas o filho é de responsabilidade da mulher! Ai a vida cai em desgraça, por que a criança só berra, é desobediente, e o "galã" não aguenta uma vida assim. Chegar em casa e encontrar a casa suja, as crianças gritando, a mulher irritada e cansada...e acabou-se o casamento! Aí quem vai ficar o resto da vida com os filhos? BIIINGO: você! Eles vão curtir a vida, ir para a balada, sair com aquelas menininhas bem mais jovens que você, mais bonitas, livres! Quem foi a idiota na história?

Outro ponto importante: Maternidade é coisa séria! Não é apenas ficar postando nas redes sociais as fotos da família feliz com legendas açucaradas, mas que no fundo é uma mentira deslavada! E é um tal de fotos com o barrigão de fora, rostos chorosos (pela felicidade em dar  a luz, claro) "Estou grávida! Não é lindo??!" NÃO! Não é! Mulheres grávidas são disformes, incham, algumas conseguem ter manchas (que não vão sair mais em alguns casos), e depois da gravidez seu corpo 'jamé' será o mesmo. Acorda querida! Você tem um caroço no meio do seu corpo! Jura que por nenhum momento ele não ficará pensando em como seu corpo era ANTES da gravidez. Se você acha que não, bem é melhor você começar a tomar doses de realidade. Homem é muito, muito, muuiiiito visual!

Ahh o amor materno! Bem a mulher carrega o pequeno ser em seu ventre, mas isso não significa que você é dona dele....você o terá por certo tempo, por que isto é a natureza: você ama, educa e ensina "a cria" a viver no mundo. Mas o que acontece depois? Chega o certificado de posse. Eles só podem fazer o que você acha certo (mas isso quando seu rebento tiver 37 anos). Se for menina você vai exigir dela coisas e comportamentos absurdos, se for menino você vai criar um sem serventia mimado, machista ("Vai lá filhinho da mamãe, pega todas! Ah como é lindo meu filhinho né? Esta semana passou o rodo em 5! Coisa linda de mamãe!"). Questiono este jeito típico feminino de encarar o mundo, principalmente depois da maternidade, por que todas se perdem. Questiono a sanidade destas atitudes. "Ah, mas você não é mãe" Não, não sou! E se isso significa ficar paranoica e tentar tolher direitos individuais prefiro não ser, por que se tem algo que eu prezo imensamente é a individualidade e o direito de escolha!!!

Gente! Mulher é algo surreal demais! E acho mesmo que deveriam abrir mais os olhos para tudo, parar de fantasiar histórias doces por que o mundo é bem cru e desagradável! Caiam na real! A vida não vai ser como você quer, ela nunca é!

Nota: Ficou imenso (risos)! Aos que passarão a me odiar, aos que já me odeiam, e aos que me odiarão ainda mais que o necessário: não quis ofender ninguém, em hipótese alguma! Não quero mudar ninguém; apenas gostaria de conseguir fazer as pessoas refletirem sobre as coisas, o mundo, as pessoas! Refiro-me ao fato da pressa que alguns têm, nas más escolhas feitas, ao fato de não observarem que às vezes as pessoas que escolhemos não são certas (no fundo alguns sabem, mas teimam em continuar), e mesmo assim acredito que devemos passar pelas más escolhas para aprendermos, mas é imprescindível que devemos seguir. Nada contra matrimônio, nem a favor (risos). Nada contra a maternidade (mas vejo muitos a tratando levianamente). Nada contra as mães (mas muitas piram por nada). Ter filho é uma responsabilidade imensa, se você não está preparada não os tenha!  Sei que fui muito crítica no texto, mas foi exatamente esta a intenção: sarcasmo, ironia e críticas!


O mundo e nossas vidas sempre serão melhores quando pararmos para analisar a nossa voltar e assim promovermos as pequenas mudanças necessárias! Apenas pense a respeito! Abraço!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Friendship never ends

Colecionadora

Acabado