Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2010

Minha música

Toquem a minha música
a música da menina em fogo
toque ela para que eu possa sangrar um pouco mais..
sentir um pouco mais...tentar me afogar
sou a menina que ainda não é mulher
ainda não descobri que ser sou
minhas mãos estão banhadas das lagrimas que não posso derramar
a musica me acalma e me machuca....
ela me faz sangrar pelo o que sou
e por tudo que poderia ter sido
uso as lagrimas que derramo para me acalmar
ela é a tinta que utilizo agora para escrever
aprendendo a ter paciência
convivendo com o que não foi e que talvez um dia será...
talvez....
mas agora eu não tenho pressa
minhas lagrimas já terão secado e talvez você não encontre os rastros dela
para chegar ate mim..
mas no fim não importa
no final o sangue é bom....necessário como o alimento
preciso me alimentar
estou me alimentando dele
gota por gota
dia à dia
e por mais que no fim ela me machuque eu sempre peço
por favor, toque minha música

Balada de Morte

Imagem
Velho corpo encolhido..sujo, seco sem vida
Boca escancarada cheia de vermes
Morte abalada
Abalada vida
Venha descansar sua cabeça caída
Neste corpo sem vida
Abraços de muitos braços secos em dor
Dança, dança comigo
A dança sem vida
E nesta noite decaída
Não fique arrependida
Não é balada de vida
Apenas dança macabra
Venha dançar querida
Esta dança estendida
Balada de Morte
...sem vida

Menino dos Sonhos

Imagem
Então ele apareceu
Do nada no ...meio da noite
Uma aparição rápida
E logo nem estava mais ali
Um fantasma...doce fantasma meu..
Por noites esperei mas ele não apareceu...
Todo mudou quando uma noite uma brisa junto ao meu rosto sobrou
Ora se não era aquele doce ser
Olhando fundo em meus olhos
O incubo da noite..
Agora toda noite espero
Por aquele do jeito manso..debruçada sobre a cama
E antes do sono..ele chega...
Vem ..vem..
Sussurrando com o vento..
Vai e volta com a noite...
Te esperarei aqui

A Menina

Imagem
Me pergunto quando vou parar de ver aquela menininha gordinha cada vez que olho para o espelho...por que por mais que o rosto nele refletido mostre outra pessoa..ainda a vejo...com olhos para as coisas ao meu redor..é sobre a visão dela...oh quanta ingenuidade! Uma menina com anseio diferentes..expectativas diferentes..mas ainda menina...na maneira de desejar...ahhh quase com aquela mesma força com que se deseja um doce...e neste momento desejo muito mais do que isso..mas com a mesma intensidade..pois desejo você! E o resto? O resto não me importa...

Um garoto chamado Desejo

Imagem
Eu provoco, provoco..
mas nunca sinto nada..
não me importo, pouco sentido faz para mim
Quanto estou satisfeito, levanto-me e vou embora
Meus sentimentos são razos...
Vivo da excitação alheia
Quando ela me entedia..me afasto
O que importa é a que limite te levo
depois será mais um alguém descartado
Mais um fantoche
Ah!!! Você tinha sentimentos??
Que pena!! Não fazia idéia!
Não se preocupe querida,
Afinal me chamo...garoto Desejo!

Encontro de Elementais

Imagem
Ela é fogo...
Ele é vento...
De naturezas diferentes
Agora eles estavam apaixonados
Mas nunca podiam se encontrar
Contudo..o tempo senhor de tudo, conseguiu promover tão esperado encontro
Quando o raio caiu do céu
De encontro a terra
Causando forte estrondo..
Sacudindo o chão
Anunciou a chegada dela
Logo pegou fogo no campo
Não muito longe vinha ele o Vento..
Galopando pelas planícies
De encontro a ela
E que dança selvagem de se presenciar
Pois então ..não é o vento que propaga o fogo?
E ele com certeza aumenta o fogo nela..
E foi o inferno na Terra!
Para os dois uma amostra do paraíso..
O encontro dos Elementais..
Fogo, paixão
Vento, leveza...
Tão diferentes
E tão compenetrados
Completos um no outro
O toque que não é toque e ...
Na sua fixação momentânea
Varrendo tudo pelo caminho ..impiedosamente na sua dança de amor
Então chegou a chuva..e assim separou-os
Clamem aos céus ....numa outra oportunidade eles serão novamente um
A apaixonada Fogo
Do seu amor...o Vento.

Dia Escuro

Imagem
Era um dia frio....aqueles que te fazem chorar...mas mesmo assim a garota saiu de casa..apesar de estar vestindo um casaco tão substancial..ela queria sentir aquele frio..ela queria sentir na pele..queria as lagrimas do frio...as facadas na face..queria pensar...não ver para onde estava indo..nossa que frio..os pés simplesmente levam..e levam e levam..ainda bem que eles sempre são ótimos guias.Apenas ande e ande..infinitamente e afogue a angustia linda garota! Deixe o frio acariciar teu rosto, teus cabelos, entra pela tua alma..varrer ela....mas não varrer tua mente..por que ela tinha que ser tão drasticamente medrosa...ela poderia ser um monstro e requisitar o que queria, mas por que não conseguia? Ele simplesmente não via, agora, seus medos..por que ela era orgulhosa também..e na ruptura nunca daria o primeiro passo para a volta..se despedaçaria mas não daria...mas ela era teimosa também e queria ele infinitamente! Aquela situação era deprimente uma fina tira de cetim estrangulando …

Leve-me

Leve-me
Leve-me nos teus braços suaves
Apenas me enfeitice com sua voz
Carregue-me
Oh carregue-me logo para lá
Pois tenho pressa
Deite-me no jardim da luxúria
Mergulhe-me na profundeza de teus olhos
Deixe-me provar o sabor do teu veneno
Iluda-me com o canto das fadas
Banhe-me com a luz da lua
Acaricie-me como a brisa
Queime-me na fogueira da vaidade
Faça dos beijos promessa
Dos abraços contratos
Da palavra ilusão...
Mas leve-me...
Para este “céu”
Depois deixar-me cair nas profundezas da dor
Da cruel dor sem testemunhas
Como ferro em brasa que abre as minhas entranhas...mas..
Leve-me para este lugar lindo e cruel
Onde todos querem estar...
O lugar dos sonhos,
O lugar dos pesadelos
Por favor, me leve
Para este lugar chamado ...
AMOR.

Carta de despedida gris

A chuva batia na janela..incessantemente..o dia tão cinza como o fundo do caixão..pelo menos como ela imaginaria que seria o fundo de um...tão deprimente...claustrofóbico..aqueles dias chuvosos a deprimiam...era como se a amordaçassem .....eles a deixavam num torpor total de idéias, de falta de ar e de magoas antigas ...”pra que lembrar’”era o refrão incessante .......era o que a vozinha na sua cabeça repetia, repetia, repetia...por que era sempre assim naqueles dias ..se não fosse a chuva a martelar ele talvez se animasse...não..não era simples assim...mas o que poder-se-ia fazer...aquela era a encruzilhada...e Deus sabia o tanto de coisas que rodavam, rodavam, rodavam na sua cabeça..quando que aquilo ia parar?
Se ao menos alguma coisa lhe apontasse a direção..que ilusão! Tantos medos...porder-se-ia dizer que tratava-se de uma patética criança...ah pelo amor de...não, não diria mais a palavra....argh!....por que simplesmente os temores não passavam a porta de sua vida como ela pensava…

Entrelinhas

Estou ali talvez você não saiba, estou ali, mas talvez você não me veja...sempre rastejando na margem, pendurada nos meus próprios braços....presa no corpo que não me pertence..mas estou ali..enclausurada na loucura, sedenta e entediada, obscura no âmago, cheia de remorso, condoída, dolorida, em paz com a escuridão..longe da luz..presa no calabouço, farto do silencio..esperando companhia..Mas você não me vê com teus olhos cegos ....sem emoção, órbitas vazias..numa imensa escuridão...podridão total..um desprezo real...o grito que é mudo...o lamento sem lástima...o saber sem saber..carinho feroz..sede atroz...mas você esteve ali.. e então eu era o fantasma do não ser...e você ?.....apenas passou..

Outono

Imagem
Nenhuma marca da passagem dele aqui...apenas pegadas na pele....que ficarão marcadas na memória..pegadas da alma...marcas da língua, dos dentes..os dedos apertando a lateral do corpo..os braços que seguram firmemente..a barba que arranhara o rosto, que em outra situação irritaria mas não naquela...por ora eu esquecera como era..mas as vezes talvez numa certa tarde ou numa certa noite...seja de uma forma ou outra, inevitável não lembrar, ou não querer que o tempo volte....eu lhe dissera que a comida faz do mundo infeliz...que deveríamos nos alimentar de emoções ..e sensações apenas...viver numa gangorra sentimental empolgante...mas claro que as idéias mais mirabolantes seriam sempre as minhas..as mais infantis também..sempre tão típico....mas enfim o mundo é feito de pessoas solitárias...e ele não sabia até então...ninguém nunca se dá conta disso e todos correm atrás de coisas que não as pertence...sempre triste esta constatação..mas os outros são cegos e não buscam o equilíbrio ..expe…

Areia e teus dedos

Hoje acordei com um gosto estranho na boca...com sinais estranhos na lembrança..com sentimentos indistintos na memória..com falta de algo que não se tem...com vontade de buscar algo longínquo ...com sensação de perda de algo que nunca esteve ali..aquela sensação de um final de tarde, de se ter chegado ao fim...mas como isso pode ser possível? Se tal coisa nunca esteve lá? Como se braços invisível estivessem me apertando....como mãos irreais apertando meu pescoço....uma sensação angustiante...de asfixia...de perda total ....solidão...um deserto...enquanto penso nisso ..o tempo passa como areia entre os vãos dos dedos..um pouquinho a cada instante e mais um dia se passou.

Aplausos

Quero cada pedaço deste pão..por favor senhor dê-me as migalhas..dê-me mais.....alimente minha fome infinita...ela esta me matando.....enlouquecendo...como é possível se alimentar num mundo vazio? Por onde se olha são sorrisos vazios em rostos belos....cabeças lindas em corpos esculturais..porém com bocas que derramam o seu conteúdo fétido, pútreo..tsts que pena! Junte-se a turba e aplauda a imbecilidade....dê vivas a ignorância do ser vazio....erga estatuas em prol dos idiotas, os grandes idiotas da beleza...Oh Deus se ao menos eles fossem maléficos eu poderia dizer...”há algo nesta casa vazia!!

Desfalecida Flor

Imagem
Como aquela flor no jardim, numa tarde tempestuosa é meu coração: o vento a açoita, açoita e lentamente, tristemente, uma a uma suas pétalas vão caindo ao chão; lagrimas vermelhas no solo. E como aquela flor sem suas pétalas ele não se reconstrói,mas talvez aconteça um dia porém, não facilmente, nunca completamente, sempre será aquela pobre flor desfalecida..

Gêmeos

Imagem
Então te direi que tem duas pessoas dentro de dela...
Duas personalidades...elas se revezam..mas é significado de não personalidade..
Bem...como é possível alguém querer alguma coisa e não querê-la?
Ela se viu num espelho...mas o espelho refletia um outro gênero..
Se ela sentiu medo?.....não posso dizê-lo com propriedade
Mas sem duvida....era o que ela estava esperando..
Duas pessoas ...em uma o doce e na outra o amargo
E seu reflexo..no espelho que não é espelho
Quatro pessoas gêmeas.....
E as muitas probabilidades disto...
Ela quer se por a prova
Será seu duplo de outro gênero capaz de acompanhá-la?
Ela se pergunta..
Neste instante a menina..segundos após alguém completamente diferente!
Por enquanto ela e sua vontade são apenas algumas interrogações

Pequeno Mundo

Ele pensava que o centro do mundo era ele
Quanta ingenuidade
O mundo era ele..e todo o resto..
E o resto também era interessante
De maneiras perversas e diferenciadas
Como manipular os outros
Tudo sobre jogo de poder
Ferimentos internos....sangue de estranhos
Apenas diversão
A fixação doentia .uma necessidade urgente por atenção
A alegria no sofrimento alheio
Ela não é menos humana que você
Não julgue!
Não é sobre amor
É sobre dor...dor diferenciada
Ela ama apenas meramente o longínquo
É o indiferente...mas aqui fala-se sobre o jogo
E ela quer mais..muito mais do que você pode dar ou suportar
Ela quer ver seus nervos expostos...
Esta é a meta....
Bem – vindo a meu mundo!

Desejo

A chuva que cai lá fora manchando a vidraça...escore aqui dentro de mim
Bem que ela poderia lavar tudo
Levando embora os anceios
Que eu trouxe dos sonhos a realidade
Talvez queira eu trancá-los no quarto do esquecimento ou do torpor
Uma dor muda mas que se sente
E ficarei vigiando eternamente
Por que sei que estas coisas não se esvaem
Não para pessoas como eu..
Então fique quietinho Desejo
Deitadinho no canto
Porém sempre cutucando, cutucando....meu peito
Mas não sei se poderei alimentá-lo
São necessários dois para satisfazê-lo..
Então espere, espere....

Fábula do Menino Desejo

Imagem
Aquele garoto chamado desejo
Entrou pela janela e provocou ventania…
Virou meu mundo de cabeça para baixo da noite para o dia..
Riu-se das minhas duvidas e anseios,
Provocou-me ao extremo……
Estava indo embora quando lhe pedi que me levasse junto..
Ao que sorrindo maliciosamente,
Riso de olhos azuis, me respondeu:
'Não docinho, não poderei tê-la junto comigo..minha jornada é solitária....
Vou-me arrebentando os corações...
Por que eu mesmo não sei onde se encontra o meu..
Talvez um dia eu o ache e ali onde ele repousa ficarei.'