O Gosto da realidade

"...Em meio à felicidade, ela não enxergou o mundo a sua volta
e quando a realidade a feriu e ninguém a notou,
despreparada ela não agüentou e o que dela sobrou? Apenas revolta...

...Sem rumo, abandonada por suas próprias crenças e já sem esperanças,
só o que lhe restou foram às marcas de suas angustiantes lembranças...

...Frustrada em meio a um mundo um dia já acreditado,
onde o tempo sem dó passou e o levou antes que ela tenha notado...

…A escuridão fez seus sonhos se evaporarem,
onde hoje não passam de confetes sem alegria e sem cor,
chovendo e enterrando sua biografia de dor…

...A sua frente um horizonte de possibilidades do que ela pode vir a ser,
mas o que pesa em sua alma é o que ela poderia ter sido,
infinitos caminhos possíveis, entorpecidos por um passado ainda não esquecido...

...Onde está o amor agora? Onde está a sua fé?
Hoje mal sente o próprio coração pulsar e suas crenças mal a mantém de pé...

…A vida passou e ela nem viu, o que viveu nunca existiu, tudo está acabado…
Nenhum amor vivido, nenhum amor sentido, nenhum amor encontrado…
Aquela felicidade? (risos)… Hoje não passa de um gosto amargo…”

feito pelo meu talentoso amigo Mili (este escrito traduz muita coisa de mim)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Friendship never ends

Colecionadora

Acabado